Conheça Aimorés

Aimorés (Minas Gerais)

“A Terra do Sol Eterno”
“O Lugar Mais Quente de Minas Gerais”
“Capital da Energia Elétrica no Leste Mineiro”

Aimorés é um município brasileiro do estado de Minas Gerais. Localiza-se naMesorregião do Vale do Rio Doce e é a principal cidade da Microrregião de Aimorés, possuindo uma população de 24.969 habitantes, de acordo com o censo realizado pelo IBGE em 2010. Sua área é de 1.349,987 km², dos quais 3,573 km² estão no perímetro urbano da sede do município.

História

Denominada “a terra do sol eterno” a ocupação da região onde fica o município de Aimorés teve início em 1856, quando os primeiros posseiros, os irmãos João e Luís de Aguiar e um cunhado de nome Inácio Mançores, vindos da Paraíba do Sul(RJ), chegaram a propriedade do Tenente Francisco Ferreira da Silva, no município de Manhuaçu.

Ganharam as cabeceiras do rio Pocrane, no município de Ipanema, seguiram margeando-o até o rio Manhuaçu e por este desceram até a confluência com o rio Doce. Como o lugar oferecia vantagens econômicas, com seu solo fértil, caça abundante e rios piscosos, estabeleceram-se como produtores rurais e mineradores em busca de ouro e pedras preciosas.

Somente por volta de 1870 vieram para o município os desbravadores com o verdadeiro propósito de implantar o progresso por meio da agricultura e da pecuária. Entre esses destaca-se Paulo Martins dos Santos.

Denominaram a nova terra de Natividade. Incentivaram a agricultura, a pecuária e foram aos poucos povoando o local que até então era dominado pela tribo dos tapuias ou aimures. Outras pessoas foram atraídas pela notícia da fertilidade e riqueza da zona e para lá se dirigiram, crescendo assim a localidade.

Em 1915 passou a chamar-se Aimorés, em homenagem aos primitivos habitantes da terra, os índios botocudos do grupo “aimure/guimaré” (aimoré) e à categoria de município e cidade em 18 de setembro de 1925, sendo importante considerar que hoje esta tribo está totalmente extinta, mas, acabaram por ser miscigenar com outras raças, em especial a branca, o que ajuda a explicar que atualmente nota-se traços indígenas em boa parte da população aimoreense.

O município foi o mais importante de todo o leste mineiro, atraindo migrantes de várias regiões. Contou com um grande número de serrarias e cerâmicas e um importante porto às margens do rio Doce. Na década de 1960 a cidade tinha perto de 50 mil habitantes e já declinava sua população. Pela sua proximidade com Vitória, cerca de 160 km, acaba sendo polarizada pela capital do estado do Espírito Santo, com acesso fácil e rápido por rodovia e ferrovia.

Atualmente é fácil encontrar aimoreenses em várias cidades brasileiras, destacando-se: Belo HorizonteGovernador ValadaresCoronel FabricianoIpatingaJuiz de Fora e Muriaé, no estado de Minas GeraisColatinaVila VelhaVitóriaSerra,GuarapariAfonso Cláudio e Aracruz, no estado do Espírito Santo. Há também emSão PauloRio de JaneiroBahia e Brasília, além das imigrações para os EUA,EspanhaPortugalInglaterraAlemanhaHolandaItália e Japão. A economia do município está baseada em sete setores: agricultura (arroz, feijão, milho, cana-de-açúcar, café, etc.); pecuárias leiteira e de corte; silvicultura; exploração florestal; construção civil; comércio; e reparação de veículos automotores. Além destes, por ser uma cidade de pequeno porte, o setor público é um importante empregador.

Com a construção da Hidrelétrica de Aimorés fica a expectativa da cidade ter um maior destaque no cenário econômico, político e social do Estado de Minas Gerais. A Hidrelétrica da cidade inaugurada recentemente, poderá trazer grandes benefícios para a região, além de tornar Aimorés conhecida no cenário nacional, pois até o momento só trouxe prejuízos econômicos, sociais e principalmente ambientais.

É uma cidade que tem tudo para atrair investimentos industriais, comerciais e agropecuários, devido ao fato de ser servida pela EFVM – Estrada de Ferro Vitória a Minas, pela sua estratégica localização geográfica, na divisa entre o leste de Minas Gerais e o Centro Norte do Espírito Santo, o que faz de Aimorés uma cidade de bastante movimento, tanto que, é ligada por duas rodovias até o Espírito Santo.

Aimorés foi a segunda cidade a ser implantado o flúor na água na América Latina. Possui o Instituto Terra, fundado pelo aimoreense Sebastião Salgado e sua esposa Lélia Wanick Salgado, cujo objetivo reconstituir o ecossistema florestal da região, por meio de diferentes formas de intervenção, recuperando os processos ecológicos e contribuindo para a manutenção da biodiversidade local. Fica localizado na Fazenda Bulcão e tem como meta plantar 600 ha de plantas nativas de Mata Atlântica da região e recuperar a água dos córregos Bulcão e Constância e de outras nascentes. Na região visa a recuperar em florestas nativas o mínimo de 20% obrigatório pela lei e recuperar as bacias hidrográficas. Visa, também, a criar corredores ecológicos para facilitar o trânsito da fauna e monitorar as diversas atividades.

Várias personalidades foram a Aimorés em diferentes épocas, destacando-se: na política (Juscelino KubitschekTancredo NevesJânio QuadrosLuis Inácio Lula da SilvaMagalhães PintoIsrael PinheiroCarlos Lacerda e Aécio Neves); música (Cauby PeixotoNelson GonçalvesEmilinha Borba e Chico Buarque); e no esporte (TostãoDirceu Lopes e Piazza).

Aniversário18 de setembro

Fundação:18 de setembro de 1915

Gentílicoaimoreense

Prefeito(a)Marcelo Marques (PMDB) – (2009–2012)

Localização

Localização de Aimorés no Brasil

19° 29′ 45″ S 41° 03′ 50″ O19° 29′ 45″ S 41° 03′ 50″ O

Unidade federativaMinas Gerais

MesorregiãoVale do Rio Doce

MicrorregiãoAimorés

Municípios limítrofes

Baixo Guandu (NE), Laranja da Terra(L), Afonso Cláudio(SE), Brejetuba (S) estes no Espírito SantoItueta(N), Santa Rita do Itueto (NE), Pocrane(O) e Mutum (SO) estes no estado de Minas Gerais.

Distância até a capital440 km

Características geográficas: Área1 349,987 km²

População24 969 hab. IBGE/2010

Densidade18,5 hab./km²

Altitude76 (Sede) m

ClimaTropical Atlântico e de altitude Cwa

Fuso horárioUTC−3

Indicadores

IDH0,731 médio PNUD/2000

PIBR$ 221 034,330 mil IBGE/2008

PIB per capitaR$ 8 887,23 IBGE/2008

DEMOGRAFIA

A população do município de Aimorés, de acordo com o último censo realizado pelo IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, divulgado em 1º de dezembro de 2010, apresenta os seguintes dados:

  • População masculina: 12.060 habitantes – 48,30%,
  • População feminina: 12.909 habitantes – 51,70%,
    • Total das populações por gênero: 24.969 habitantes – 100,00%.

  • Zona urbana: 19.705 habitantes – 78,92%,
  • Zona rural: 5.264 habitantes – 21,08%,
    • Total da população do município: 24.969 habitantes – 100,00%.

Fonte: Dados oficiais do Censo IBGE 2010

Bairros Não-Oficiais do Distrito de Aimorés (Sede)

O município ainda não implantou uma lei/decreto de divisão/definição territorial de bairros.

  • Avenida Liberdade
  • Barra do Manhuaçu
  • Barra Preta
  • Betel
  • Cantinho do Céu
  • Centro
  • Distrito Industrial
  • I.B.C.
  • Igrejinha
  • Instituto Terra
  • João XXIII
  • Morro da Caixa d’Água
  • Morro da Matriz
  • Morro do Anézio
  • Natividade
  • Parque dos Eucaliptos
  • Rua Nova
  • Sossego
  • Triângulo
  • Vila Fonseca
  • Vila Nogueira
  • Vila Thiago

No interior do distrito sede temos as localidades de: povoado de Represa, povoado de Pontilhão, Vai-e-Volta, Ilha do Capa Bode, Santa Isabel, Córrego Lorena, Travessão, Barra do Travessão, Córrego do Xuxa, Córrego Sossego, Córrego Salgado, Córrego Natividade, Coqueirinho e São Sebastião da Encruzilhada.

Outros Distritos

Além da sede, o município possui oito distritos:

  • Alto Capim
    • Localidades: Barra Alegre, Córrego do Machado e Mata Fria.
  • Conceição do Capim
  • Localidades: Barra do Capim, Córrego do Aventureiro, Moinho de Pau, Serra da Conceição, Vala Seca do Bugre.
  • Localidades: Santa Therezinha, Vala dos Fagundes, Vala dos Padres, Vala das Viúvas (parte).
  • Localidades: Alto Paiol, Aterro, Barra do Paiol, Cabeçeira do Paiol, Feixe de Pedra.
  • Localidades: Córrego do Peão, Córrego do Inhame, Córrego do Sossego, Lagoa Branca, Lagoa Preta, Lagoinha, São João do Capim (povoado), Vala dos Veados, Vala das Viúvas (parte).
  • Localidades: Baixio, Córrego Gimirim, Pedra do Souza
  • Localidades: Capinzinho, Córrego do Lambari, Todos os Santos, Vala da Onça, Vala do Ubá – popular Pé da Serra.
  • Localidades: Lajinha de Tabaúna, Raimundo Pio – popular Macuco, São José do Limoeiro (povoado), São Luís do Bugre.
  • Expedicionário Alício – homenagem à soldado da FEB na 2ªGuerra – popular Mata Três
  • Mundo Novo de Minas
  • Penha do Capim
  • Santo Antônio do Rio Doce – popular Mauá
  • São Sebastião da Vala – popular Rosca Seca
  • Tabaúna

Relevo

  • Altitude:
    • Máxima: 1118 m. Local: Serra da Mata Fria (S)
    • Mínima: 66 m. Local: Rio Doce (NE)
    • Ponto central da cidade: 77,34 m

Topografia %

  • Plano: 30
  • Ondulado: 40
  • Montanhoso: 30

 Clima

Aimorés é famosa por ser “a cidade mais quente do estado de Minas Gerais“. Em alguns pontos do município as temperaturas podem chegar facilmente aos 35 °C no inverno.

  • Temperatura:
    • Média anual: 24,6 C
    • Média máxima anual: 31,2 C
    • Média mínima anual: 19,4 C

  • Índice médio pluviométrico anual: 1162,6 mm

Segundo dados do Instituto Nacional de Meteorologia (INMET), a temperatura mínima registrada em Aimorés foi de 5,2ºC, ocorrida no dia 18 de julho de 2000. Já a máxima foi de 40,6ºC, observada dias  e 4 de novembro de 2007, porém termômetros locais já registraram temperatura maior, chegando à 42º no ditrito de Expedicionário Alício. O maior acumulado de chuva registrado na cidade em 24 horas foi de 149,0 mm, em 3 de janeiro de 1975.

Hidrografia

Localização

Está localizada no leste mineiro, divisa com o estado do Espírito Santo próxima à cidade de Colatina sendo banhada pelas águas do rio Doce. Fica a aproximadamente 440 km de Belo Horizonte (via BR-262), cerca de 180 km de Vitória, capital do estado do Espírito Santo e a 160 km de Governador Valadares, cidade pólo do leste mineiro.

Cratera Aimorés, Meteorito ou Vulcão?

Análises geomórficas e fotografias registradas por satélites revelam a existência de uma cratera 5,5 km ao norte da cidade. Uma hipótese é de que tenha sido provocada, há milhares de anos, pela queda de um meteorito e há estudos também que indicam que seja um vulcão extinto. O diâmetro da cratera é de aproximadamente 9,6 km.